Sem Memória Lyrics - DK 47

Table of Contents [Hide]
     Sem Memória Lyrics - DK 47

    Sem Memória Lyrics by DK 47:

    DK 47 New song Sem Memória full official lyrics given here. This song Produced By JovemZine. Sem Memória song Written By DK 47.

    SongSem Memória
    Singer :DK 47
    Produced By : JovemZine
    Written By : DK 47
    Release Date : August 17, 2020


    Sem Memória Lyrics - DK 47


    Acordo assustado, mano, que horas são?
    Subi na minha magrela, fui comprar um pão
    Na banca de jornal vi uma aglomeração
    Estranhei pelo horário a movimentação
    Senti o frio na barriga tipo uma premonição
    Acendi o meu cigarro sem dar muita atenção
    Vou seguindo minha meta, voltando pra minha favela
    Que dorme pronto pra guerra dessa sensação
    Quando eu tiro o celular do modo avião

    Já começo a ver milhares de mensagens no WhatsApp
    Não para de vibrar um monte de ligação
    Todo mundo comentando, falando da reportagem
    Passando ao vivo pelo canal da cidade
    Fui correr na mesma hora pra ligar a televisão
    Não dá pra acreditar que o que eu tô vendo é verdade
    Meu mano dentro do ônibus com revólver na mão
    Pensa que loucura, imprensa na cobertura
    Esquadrão Antibomba, viatura isolando a rua
    Chamava de irmão, apelido professor
    Porque ia de porta em porta distribuindo leitura
    O BOPE pede calma, ele não quer negociar
    Não dá pra confiar nesse povo de farda suja
    Lembra da ditadura? Esse tal Coronel Ustra
    Matou o meu avô com maquinários de tortura
    Eu falava sobre livro, mas ninguém me dava ouvido
    Agora meu irmão em Cristo faz sinal de arma com a mão
    O mesmo argumento defendido por políticos
    Por isso eu comprei uma pra vocês me dar atenção
    Tô liberando as criança', vou liberar as mulher'

    Machucar um inocente nunca foi minha intenção
    Pode chamar de aula, pode chamar de sequestro
    No final pra ser honesto todos vão ter uma lição
    Eu vejo os capitão do mato tudo posicionado
    Atirador do governo tem fuzil de precisão
    Eu prefiro ser atingido pelo tiro do inimigo
    Mas nunca pela chibata na mão do meu próprio irmão
    Nós existe há muito tempo, não existe descobrimento
    Em abril de 1500 começou a exploração
    Os portugueses trouxe a guarda e os padres jesuíta
    Porque a cruz e a espada foi a única opção
    Tu conhece tua árvore genealógica?
    Nós sofre de falsidade ideológica
    Aí o playboy acha bonito tacar fogo em índio
    Esqueceram do Galdino, povo sem memória
    Tu sabe a vida da Anitta, acompanha o Léo Dias
    Segue a dica da blogueira e os site de fofoca

    Não sabe quem foi Dandara, Ciata, Maria Bonita
    Então para de novela e vem pesquisar nossa história
    Pra saber que os bandeirante que deu nome a essa avenida
    É igual esses milícia que nós tem aqui agora
    Matou a Marielle, matou Zumbi dos Palmares
    Escravizava os índios e o povo quilombola
    Meus heróis nunca viraram estátua
    Morreu lutando contra aqueles que viraram
    Aí Bial, que se foda o que tu acha genial
    Monteiro Lobato é só um racista arrombado
    Olha seu menor com boneco do Thor
    Loiro de olho verde segurando um machado
    Imagina seu menor com um boneco de Xangô
    A vizinha passando falando "tá amarrado"
    Todo camburão tem um pouco de navio negreiro
    Parece que o futuro tá repetindo o passado
    Se fosse pra escolher um bandido de estimação
    Eu preferia o Lampião e não o Flávio Bolsonaro
    Eu odeio Luiz Alves de Lima Silva
    Lembrado como herói em Duque de Caxias
    Acabou com a revolta de João Balaio
    Que matou o soldado que estuprou suas filha
    Tu conhece o nego Cosme e o cara preta

    João Cândido e a Revolta da Chibata?
    Se conhecesse, ia saber que a princesa Isabel
    Tava querendo bancar de fada sensata
    Maria Filipa que era arretada
    Lutou contra a invasão da tropa portuguesa
    Joana Angélica de Jesus
    A filha assassinada com uma baioneta
    Vocês nunca viram Capitães de Areia
    Nunca leram livro de Castro Alves
    Adora o Mickey que veio da Disney
    Mas ignora todo o nosso folclore
    Foda-se a mansão do astro do rock
    Foda-se que o Alok vai comprar um Porsche
    O problema não é esses cara tá ficando rico
    O problema é o Cartola ter morrido pobre
    Nem Luiz Inácio nem o Bolsonaro
    Esse fanatismo todo me deixa com medo
    Vocês esqueceram do nosso passado
    O problema começou com Dom Pedro I

    O Quilombo de Palmares que ficava em Alagoas
    Que até hoje é o estado que mais mata jovem negro
    Quantos Marcos Vinícius e quantas Ágatha?
    Quantos Amarildo, quantos João Pedro?
    Quantos nessa guerra vai ficar ileso?
    Vou liberar o refém e sair com a mão pro alto
    Mas quando ele bota o pé pra fora do busão
    É linchado por populares revoltado

    DK 47 - Sem Memória Song Video


    Comment Below